O fato mais importante da vida

rinpoche

Quando o Rinpoche morreu, eu senti muitas coisas ao mesmo tempo. No início foi muito triste, me senti completamente abandonada, sem chão. Me perguntava o que faria da minha vida sem meu lama. Mas, na verdade, eu não entendia o significado disso dentro de mim.

Então, durante os dias em que a mente do Rinpoche ainda estava no seu corpo após a sua morte, senti como se ele estivesse o tempo todo ao meu lado, uma presença muito forte. Durante esses dias tive a certeza de que a coisa mais preciosa que eu poderia ter tido na minha vida foi ter encontrado o Rinpoche, meu lama precioso, o próprio Buda.

Entendi que a sua morte foi mais uma forma que o Rinpoche encontrou de mostrar a sua imensa compaixão por nós, de trazer beneficio, de fazer com que a nossa prática melhorasse. Ao pensar nisso, a tristeza se foi, pois me dei conta que a presença dele jamais sairá do meu coração.

[Contada por Vanessa Sabbado]